terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

São Paulo

tem carros por baixo
tem carros por cima
sem moças douradas
discretas meninas

é o contraste
impiedoso
das esquinas
(as formas concretas)
arranha-céus
que arranham a garoa
(tóxica)

mendigos que passeiam
no samba
(ébrios, febris e assombrados)
que sangram
Por uma nesga
de sampa

praças e parques
ambarino brilha
gelo na boquilha

ambição política no meio
da beleza rústica
das curvas de
sua poesia
que se enfartam em comer
sua ambrosia.

3 comentários:

Tiago Faller disse...

Enxergando daqui as ruas movimentadas e o povo apressado num sábado de garoa que fui a SP.

adrianna coelho disse...


caramba!

gostei muito desse, paulo!

e estou em sp todo mês... é isso aí mesmo.

beijos

Paulo Henrique Motta disse...

estas foram minhas primeiras impressões de Sampa.
obrigado pela força.